5 Filmes de terror psicológico dirigidos por mulheres



Rafaela Germano, professora do Espaço Rasgo, fez uma seleção de cinco filmes de terror psicológico dirigidos por mulheres que você não pode deixar de conferir.


  1. O CHALÉ (The Lodge)

2019

IMDb: 6,1

Diretora: Veronika Franz, Severin Fiala


SINOPSE: Uma madrasta leva duas crianças para passar a noite em um chalé em um isolado vilarejo. Uma nevasca acaba deixando-os presos na casa e forças sobrenaturais passam

a aterrorizá-los.


Da mesma dupla de diretores de “Goodnight Mommy” (2014), “O Chalé” não decepciona. Trazendo o universo infantil novamente neste filme, porém com uma abordagem bem diferente, o filme tem grandes atuações, com destaque para a atriz principal Riley Keough, e um roteiro bem construído. Trata-se de um filme de isolamento, onde os personagens ficam presos em um lugar sem contato com o mundo exterior. Isso faz com que a angústia aumente a cada cena, conforme as tensões entre os personagens também seguem em uma crescente. O longa-metragem também traz à tona questões relacionadas aos traumas vividos após sair de uma seita religiosa.



2. THE INVITATION

2015

IMDb: 6,6

Diretora: Karyn Kusama


SINOPSE: Will e a namorada vão para um jantar a convite da ex-mulher dele. Ela também está com um novo marido e ambos, junto com estranhos novos amigos, apresentam um comportamento que intriga Will.


O filme conta basicamente a história de Will (Logan Marshall-Green) e sua namorada Kira (Emayatzy Corinealdi), que vão jantar na casa da ex-mulher de Will, Eden (Tammy Blanchard), a convite da mesma. Segundo ela, seria um jantar de comemoração. Desde o início, “The Invitation” é um filme que constrói o suspense com sutileza, sem diálogos expositivos e através de pequenos detalhes vai nos revelando a trama. O filme se passa em praticamente um único ambiente, o que trabalha a favor da narrativa e aumenta o clima de tensão.


3. ALWAYS SHINE

2016

IMDb: 5,7

Diretora: Sophia Takal


SINOPSE: Duas atrizes, com diferentes graus de êxitos, viajam para o norte a partir de Los Angeles, para voltar a se conectar depois de anos de competição e ciúmes.


“Always Shine” narra a história de duas amigas que decidem fazer uma viagem juntas para se reaproximarem após anos de uma relação conturbada e permeada pela inveja e competição. Trazendo duas protagonistas femininas complexas e bem diferentes entre si, o filme aborda a rivalidade feminina sob a perspectiva da própria mulher, levantando questões que atormentam as mulheres há séculos. A atmosfera de paranóia permeia todo o filme, cuja direção de arte é bela e impecável, contrastando com a narrativa sombria.



4. PSICOPATA AMERICANO (American Psycho)

2016

IMDb: 7,6

Diretora: Mary Harron


SINOPSE: Em Nova York, em 1987, o belo jovem bem-sucedido Patrick Bateman tem uma segunda vida como um horrível assassino em série durante a noite.


Provavelmente o filme mais conhecido dessa lista e também considerado um clássico do Horror, “Psicopata Americano”, como alguns não sabem, foi dirigido por uma mulher. O filme com tom satírico tece fortes críticas à misoginia e à objetificação feminina, bem como trata de temas como racismo e homofobia, ao retratar um personagem branco, rico e privilegiado que se aproveita disso para cometer as maiores atrocidades. O filme nos faz questionar o que é verdadeiro ou não, o que aconteceu de fato e o que foi apenas uma alucinação, sendo um ótimo terror psicológico.



5. SAINT MAUD

2019

IMDb: 6,7

Diretora: Rose Glass


SINOPSE: Maud, uma enfermeira católica, fica obcecada em salvar a alma de sua paciente, que está morrendo.


“Saint Maud” coloca a religiosidade como tema central para discutir temas como solidão, obsessão e loucura feminina. A personagem principal, Maud (Morfydd Clark) é uma enfermeira que se torna obcecada em salvar a alma de sua paciente, tornando esse seu objetivo e razão de viver. Em uma jornada de autodestruição, Maud entra em uma espiral crescente de delírio até chegar em seu ápice. Sendo o longa-metragem de estreia da diretora Rose Glass, o filme é minimalista e com uma narrativa muito bem construída, além da estética que contribui muito para o clima do filme e construção dos personagens.



***

Rafaela Germano, professora do curso "Cinema de Horror e Monstruosidade Feminina", é Cineasta, artista visual e pesquisadora. Graduada em Cinema e Audiovisual pela UFES e mestranda de Comunicação pela UFPE. Realiza pesquisas sobre Cinema de Horror sob a perspectiva feminista, tendo criado o site “Mulheres no Horror”.



0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo